quinta-feira, 9 de junho de 2011

Calma e sozinha 
ela caminhava pelas poças d´águas
sem fazer barulho para o frio, sem sentir o vento.


Ele só a observava,
fazendo as imagens 
uma cena de cinema.

17 comentários:

Paulo Francisco disse...

Raphael, este é muito bom!
Um abraço

Por que você faz poema? disse...

Poesia,
como numa cena de cinema.

Aninha Zocchio disse...

Será que ele conseguiu também olhar além das aparências?
Belo poema...!!

Débora Andrade disse...

Incrível, Raphael.
Tem prêmio lá no blog para você. Na página Selos & Afagos.

Abraço,
Débora.

Fernand's disse...

uma coadjuvante...



lindo.
bjsmeus

.maria andrade vieira. disse...

bela cena

disse...

gostei muito do blog...
voltarei mais vezes...
bjooo

Tatá disse...

Sou nova aqui sabe.. e gostei do blog porque gosto de poemas que dizem muito com pouco. E encontrei bem isto neste aí. As palavras foram encantadoras. Muito dignas.
Beijo

@taataah__

selma disse...

"Calma e sozinha
ela caminhava pelas poças d´águas
sem fazer barulho para o frio, sem sentir o vento"
Pula nas poças d'agua sem se importar com o frio nem o vento,em sua mente,é como se já tinha assistido ou visto esta cena...
visitando ,e gostei do testo ,assim eu entendi...já sigo este blog,beijo amigo...

Menina da Imprensa disse...

Nossa! Exalando ternura...

S.F. disse...

Fantástico, leve, bom de ser visualizado, adorei.
já estou seguindo teu blog. parabéns!

Leonardo Batista disse...

Grande cena, linda poesia!

Débora Andrade disse...

Tem selinho para você no Selos & Afagos do meu blog. :)

Ah, indico:
http://acaciaazevedo.blogspot.com/
Ótimo conteúdo. :D

Beijos,
Débora.

Pitango disse...

E qual o final desse filme?

Nathacha disse...

Estou te seguindo!

Se puder retribuir, ficarei grata!

By,

Nathacha Phatcholly


www.medicinepractises.blogspot.com

Bjoos

Banda Mess Around disse...

Lindo! Estou seguindo já!
Abraços do Mess

Joéliton dos Santos disse...

Muito lindo!
Já lhe sigo!

Abração!