sábado, 4 de outubro de 2008

Eu não quero uma noite solitária

Sem lua, sem estrelas, sem nada.

Não quero revolta nem volta

Quero apenas um desejo,

Um trecho

A trajetória de um sorriso, um beijo

Quero estar seguro, preso, amarrado a um abraço.

Desatado da vida

Um bêbado sem saída.

Almejo uma proposta de fuga

Uma felicidade instantânea

Para uma madrugada a dois.

6 comentários:

Flávia disse...

Melhor que uma madrugada a dois, só mesmo duas madrugadas. Ou três... ou mais...

Beijos :)

Fanny disse...

Fácil se identificar com esse texto. Muito bom ;)

Extase disse...

olha digo que para mim ficou mais bonito quando li de tras para frebte no caso de baixo para cima

Patrícia Lage disse...

Todas as madrugadas assim o que eu preciso (e desejo).

Belíssimo!
Belíssimo.

Beijos, Phaelzo.

Marcelo disse...

Iche qual é a maluca-doida-louca que resistirá a uma cantada destas...Muito boa a sua forma de escrever poesias.

abs

Pitango disse...

A madrugada a dois é sempre bem-vinda!

Abço
Pitango

http://www.lenfantdeboheme.blogspot.com/