sexta-feira, 14 de maio de 2010

é de só e de pó
que não faço da minha solidão
um vão para a escuridão alheia

é de sol e de só
que faço das minhas mãos
aprendizado para minhas noites

é de pó e de só
que não fico sozinho
para escrever alguns versos tementes

em mente, por bandas
vou ilusoriamente colhendo o pó
para me deixar perto do sol,
a sós.

2 comentários:

JURA disse...

musical, intessantíssimo

Mayre disse...

Nossa, adorei os trocadilhos!
Muito original, musical...
Parabéns!!

Abraço!