quarta-feira, 5 de maio de 2010

e os passos dados nas calçadas
se desfaziam pelo ouvir das músicas dos outros pés
que ao lado passavam desapercebidos

é um desalento esta distração:
dos pés corriqueiros, sem caminho, sem direção
em eterna confusão por não pensar nos seus vizinhos de passeatas
cegos.

vai lento, sem cair ou tropeçar
vai descansar para prestar atenção
e emprestar menos tensão à vida.

vai sem entregar aos pontos os pontos;
continua, propague para deixar de ser estático,
assim, pés em pés, encontrará o fiador
para a soleira deste coração
.

4 comentários:

JURA disse...

lindo
colocaria no livro também

Simplesmente Outono disse...

Saudade dos teus olhos sobre minhas letras. Espero por tua visita, ansiosamente.
Com carinho e folhas secas.
Simplesmente Outono.

Maria Vieira disse...

já li duas vezes. mas acabei saindo sem comentar. injustiça minha: isso tá tão bom, que dispensa os meus humildes comentários.

Pitango disse...

Idem!