quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Na varanda,
ao som do ar,
à luz do vento,
variando a sua mente,
iluminando a sua frente,
para o tempo descansar.

A canção do cheiro da flor de laranjeira,
na varanda,
vadiando para deitar o corpo olhando o céu,
para destrinchar os buracos da lua,
e contar estrelas,
na varanda.

6 comentários:

Paulo Francisco disse...

Bom... Muito bom!
Gostei.
Um abraço

MOISÉS POETA disse...

Poético e belo !

amei esse poema !

abraços !

Sarinha disse...

Simples
Mas lindo !!

Bjs

mariana mello disse...

Adorei! :)

may disse...

muito lindo,amei..bjssssssss

JURA disse...

bem bossa nova