quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Herança


Aos poetas, com agouro,
Deixo a falta de lê-los.
Aos padres, com astúcia,
Deixo a oração não orada.
Aos amores perdidos,
Deixo a falta da conquista.
Aos amores faltosos,
Deixo a impertinência da presença.
Aos romancistas vívidos,
Deixo a indulgência de um romance.
Aos casos mal resolvidos,
Deixo a futura resolução.
Aos amores vividos,
Declamo a saudade.
Aos amores morridos,
Deixo a vida.

5 comentários:

leo-desde1984 disse...

O mais legal é que vc colocou as heranças sob uma perspectiva positiva. Sempre dando uma esperança boa pro que possa vir ou lembrando de um jeito bonito o que passou.
Gostei muito! Parabéns ;)

Abraços

EUPATRICIAMESMO disse...

Sobre esse texto, já te disse uma vez, é uma das coisas mais bonitas q vc vai deixar de herança.
Lindo demais.

Aliás, vc heim Rapha!
O escritor-poeta da turma.

lov-u.
beijos!

CeiSa disse...

"Aos amores vividos,
Declamo a saudade.
Aos amores morridos,
Deixo a vida."

Meu deeeus... Tô assim desse mesmo jeito, em relação a esses tais amores que não se cansan de ir e vir na minha vida!!!


Beijoos!

Si disse...

Agradeço pelo link. Fico lisonjeada. Coloquei no meu também.
Quanto à escrita, não desisti. Amo as palavras (acredita que faço coleção das mais belas?), mas escrevo porque preciso me liberar. O blog nasceu com esse intuito.
Você sim é que o faz com maestria (e sem rasgação de seda).
Beijos.

jurandir disse...

cara,belíssimo poema
de derreter
parabéns
jura