sexta-feira, 11 de janeiro de 2008




Quero a lividez dos seus pés
Nas minhas mãos
Incasáveis de massageá-los

E o cansanço do meu dia
Repousado no seu colo

E a tristeza da estafa
Aconchegada nos leves dedos seus
Em meus cabelos.

A persepção da sua respiração
No cálido silêncio do meu ouvido

Apenas o carinho.


Para a desconhecida do sonho.

9 comentários:

eupatriciamesmo disse...

E eu quero deitar nesse banco aí!

Lindos versos, Rapha.
Sortuda essa do sonho... rs!

beijomeu.

Si disse...

Por onde anda essa sortuda que ainda não veio sentar-se junto de ti?

Obrigada pelos desejos, Rapha. Tudo em dobro para você.

Beijos.

Flávia disse...

Rapha... sabe como me senti? Imersa nessa languidez... nesse carinho essencial de dedos entrelaçados em fios de cabelo e realidades entremeadas de sonhos...

Há tempos não lia algo tão leve... tão completo em sua simplicidade.

Lindo. Lindo, lindo, lindo.

Beijos e sonhos.

JURA disse...

BELO POEMA, MUITO BOM
ABRAÇOS, APAREÇA

leo-desde1984 disse...

Quanto ao texto é demais. A flávia disse tudo: é tão completo em sua simplicidade.. combinou com o layout tb que tá mt bom. Todo mundo vai mudando, se renovando e só o meu blog continua a mesma m...


quanto a foto, pareceria o banco lá de casa se a minha mãe não tivesse pintado ele de roxo

[]'s

Van disse...

Hmm, que sonho gostoso!
;)
Beijucas

Anônimo disse...

OI Rafael! faz tempo q não venho aqui!!!Mas que poesia mais linda, ein? tá inspiradíssimo, ein?

Achei lindo esta estrofe:

"A percepção da sua respiração
No cálido silêncio do meu ouvido
Apenas o carinho"

beijo, tudo de bom pra vc!!!!

Pitango disse...

É tudo o que estou precisando neste exato momento.

Flavinha disse...

Passando pra deixar beijinho.