terça-feira, 25 de março de 2008




Mar, mar, vasto é o mar
E imenso é o ar sobre o andar das ondas do mar
Se eu não soubesse o que é amar
Voaria pairando o mar
Para impor a forma de amar
Ao meu coração ignorado na imensidão do amar

Vasto é o mar
De quem ama o mar, o ar
Vasto é o mar
De quem a amar tenta afugentar
A solidão de quem não sabe amar

Vasto, vasto
Só pra quem sabe amar.

6 comentários:

guianafrancesa2005 disse...

E eu amo o mar,,,então, eu acreddito saber amar e ver o quanto são vastos....!
Lindo o poema!!!

bjs!Gisele

www.inventandoagentesai.blogspot.com

Flavinha disse...

"Vasto é o mar
De quem a amar tenta afugentar
A solidão de quem não sabe amar"

Raphinha... isso de não saber amar... vc já reparou que ser amado é a maior responsabilidade que temos na vida? É perigoso não saber o que fazer com o sentimento do outro. Um perigo triste.

Beijos, homem-mar.

minos disse...

fala pousa!!!!
nossa, belo blog. temos um novo poeta lírico em cachoeira paulisa!!

abração rapaz

jura disse...

mar vasto mar, mais vasto é o meu coração.
Rapaz poeta drummondiano....
abraços, rapaz.

Si disse...

Rapha, que LINDO!!!!
O mar é tão pleno que só dá para comparar com o amar mesmo.
Ah! Tenho uma foto parecida com essa. Arpoador visto do Forte de Copacabana. Que lugar sublime...

Beijos.

Anônimo disse...

Legal este poemar amar o mar é muito gostoso, quando o mar está agitado só soltar o corpo e embalar nas ondas. Seja feliz cara!U m abraço do Urubu