segunda-feira, 8 de setembro de 2008


“Aponta pra fé e rema”

Ondula-se na água
Paisagem vista de fora
Vento no rosto
Dobra
Peito ardido e doloroso
Maré em forma de pensamento
Vento contra
Vida a favor
Saudade acostumada
Volta peregrina
Vaga
Solidão necessária
Traje de dia-a-dia
Discórdia do querer
Vontade de amar
Lembrança corrente
Corrente, corrente, corrente
Barco em maré
Amanhã dedicado
Pescador com olhos em terra
Terra distante
Saudade constante.

3 comentários:

Pitango disse...

Olá! Passei para a leitura do blog, depois de algum tempo.

Abço
Pitango
http://lenfantdeboheme.blogspot.com/

Flavinha disse...

Uma palavra: rema.

Rema...

Beijo, Rapha :)

Anônimo disse...

lindo
resquícios de memória de Parati ainda?


JURA