domingo, 28 de setembro de 2008


"Não me chames dissimulado, chama-me compassivo; é certo que receava perder Capitu, se lhe morressem as esperanças todas, mas doía-me vê-la padecer. Agora, a verdade última, a verdade das verdades, é que já me arrependia de haver falado a minha mãe, antes de qualquer trabalho efetivo por parte de José Dias; examinando bem, não quisera ter ouvido um desengano que eu reputava certo, ainda que demorado. Capitu, refletia, refletia, refletia..."
Machadão - 100 anos Qualquer um que o lê se apaixona por literatura.

3 comentários:

Patrícia Lage disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Patrícia Lage disse...

Eu já quis ser Machado de Assis quando era criança.
Criança aspira por cada coisa...

Sim, se apaixona.
Meu beijo, Rapha.

Pitango disse...

Esse livro é incrível (o meu livro nacional favorito) e bobo de quem ainda não leu!

Abço,
Pitango

http://www.lenfantdeboheme.blogspot.com/