sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Eu tento fazer um poema em um canto
Onde canto um canto
Em pranto
Sozinho e tonto
Sinto-o esvair em desencontro
No entanto
Em sutil desamor toco meu canto
Em prol do meu encanto
No desalento e tanto
Planto o meu canto
Silencioso no meu canto
Canto o meu pranto.
"Canto que é de canto que eu vou chegar
canto e toco um tanto que é pra te encantar
Canto para mim qualquer coisa assim..."

6 comentários:

Flávia disse...

Senti um tonzinho pessoal no ar... acertei? ;)

Patrícia Lage disse...

Pra explicar a paz, Rapha?

Lindo, poeta, lindo.
Meu beijo de sempre.

PS: Tô aqui, no teu texto.

juranha disse...

é, poetas sabem o tom!!!

Pitango disse...

... que explique a minha paz, tristeza nunca mais!

Pitango
http://www.tchubaduba.blogspot.com/

Tainá :) disse...

Lindo, lindo, lindo!


;*

leo-desde1984 disse...

Rapha!! O texto tem um certo ritmo que enqaunto eu lia acaba me fazendo lembrar de alguma música.. nao sei se é a que vc colocou no final do los hermanos, mas sem dúvida complementou muito bem! Parece que foi pra fechar com chave de ouro :)

ps: assisti cão sem dono.. só sentí falta da parte que ele descreve o que é a vida, mas isso é outra estória..

[]'s