sábado, 7 de junho de 2008




As músicas que tocavam há um ano atrás
Pouco tocam agora neste
À memória se dá o desfrute de lembrar
Os passos, os pássaros, os arredores azuis do mar
A imensidão, a imponência dele
As pessoas de um ano atrás
Continuam na amizade e no coração
As mesmas árvores, o mesmo verde, o mesmo caminhar
Já não se encontram presentes
Mas na saudade, nela bate
Bate o som das vozes daquela noite cheia de estrelas
Que no céu de um início de junho
Batia uma brisa leve, ao mesmo tempo que quente
Aquele boteco, onde o chopp era gelado
E os vários chopps refletiam olhares suspensos
Elevados por sangues diferentes
As músicas que tocaram há um ano atrás
Poucos entenderiam
Mas como um coração pulsando no meio de uma multidão
Fluía as vozes em uníssono
Fazendo sentimentos aflorarem tempos idos
De sambas e sambas
De mais cervejas em cervejas
O tempo passa e a memória continua a mesma
A festa é outra, a transitividade mais além
O gosto doce e amargo de um ano atrás
Continua impresso pra sempre
Nas músicas que há um ano pararam de tocar
E silenciaram na orquestra da nossa memória
E só lá elas se encontram, vivas.
"Posso ouvir o vento passar,
assistir à onda bater,
mas o estrago que faz
a vida é curta pra ver..."
Pati e Allas esse é pra gente!

4 comentários:

Patrícia Lage disse...

Rapha,
só a lembrança pra nos fazer reviver aqueles dias de encantamento, não é?! Não há imagem e nem letra maior e melhor que o recordar...
E é inesquecível porque estávamos justamente nós três, numa união em amizade verdadeira.
Que bom que você reverencia hoje esses momentos aniversariantes!!!

Um beijo meu.

Flávia disse...

nostálgica que estou, quase me vi nesse post...

Recordar é um presente, né?

Beijos ;)

Larissa Minghin disse...

Ai que coisa bonita!
Dá vontade de sorrir!
Gosto de texto assim, que desperta!

Um beijo.

Anônimo disse...

"O tempo passa e a memória continua a mesma"

lindo texto, hein?

eu estava lendo e lembrando dos meus velhos e ultrapassados tempos....

beijo! Gisele