domingo, 29 de junho de 2008

A música tocará de fundo
E lá no céu brilhará lugares incomuns
Aqui, no chão, ao lado, ao tempo
Ao vento, no momento
Crescerá a poesia de cada hora
Cada contemplação, cada idéia procurada
Cada utopia
O verso da hora passada será
A declamação do futuro
Tentar ser uma estrela negra
Em um prateado céu
Vozes por todo espaço
Expansão proposital de sentimento
Ar, tempo e lugar para descanso.

5 comentários:

F. disse...

O verso da hora passada será
A declamação do futuro.


A vida é tão circustancial, não? Cada minuto passado, embora pareça estático, é ainda assim uma incógnita.

Adorei o poema.

Beijos ;)

leo-desde1984 disse...

Ahh rafa.. sempre lembro de lorena quando leio seus textos rs.. eles não se parecem nada com sp..
Enfim, é um jeito de matar a saudade :)

[]'s

Patrícia Lage disse...

Ahá!
Esse eu matei...
Esse foi dedicado para o mais futuro próximo desta semana, certo?

Ah... as pingas e os balcões e o mar, aguardem.

Beijo, Phaelzo. :)

Anônimo disse...

lindosa versos, garotos
irei a flip
na sexta.....


JURA

Pitango disse...

Eu me lembrei agora do poema "Sorte", cantado pela Bethânia... é lindo, em música...
Abço do Pitango!
http://www.lenfantdeboheme.blogspot.com/