segunda-feira, 7 de julho de 2008

Parati

Dá-se uma bucolidade para quem vai à Parati
Brotam-se pedras das ruas
E flores nos tetos das casas
Sente-se um ar diferente no entre caminhos de ruelas
Vê-se o céu de um outro modo
Diz-se de um lugar perdido, único no tempo.
O mundo é uma miragem sentado à beira-mar
Faz de sentimentos aflorados nos bares praças gramados
Parati lhe dá algo inexplicável
Talvez, a tradução do que é poesia
Na alma do ser humano
Deixando o gosto que vale uma vida
Passar os dias em
Parati.

3 comentários:

Anônimo disse...

Queria ter escrito esses versos, lindos. abraço, Rapha



jura

Patrícia Lage disse...

ê, cidade pra inspirar assim...

meu beijo, Rapha.
belos versos!!!

Mari disse...

Pois é....e infelizmente vou ter de acreditar na beleza das coisas que se reencontram sem numca serem iguais...e esperar que ano que vem vc se reencontre com todas as intensidades e cores de Paraty...para tornar mais colorida minha apresentação a tal paraiso!!!!
Amo
Bjos