segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

ainda tenho tempo:
de chorar e de amar.

ainda tenho tempo:
de sovar e de assar.

ainda tenho tempo:
de pedir perdão e ter tesão.

ainda tenho tempo:
de confusão e arrumação.

ainda tenho tempo:
de precisar do silêncio

ainda dá tempo:
pra dizer que tenho tempo.

3 comentários:

Maria V. disse...

tempo tempo, mano velho...

Anônimo disse...

Belo poema

adoro essas reflexões sobre o tempo que temos e não temos

JURA

Anônimo disse...

sempre há tempo....
sempre!!!

o problema está no google chrome. mudei de página e deu pra comentar.]:

beijo, Gisele