sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Baby, quero você no meu blues,
você na manhã da minha cama,
no café do meu almoço.
Nas pernas entrelaçadas das noites não dormidas.
As mordidas na maçã do seu rosto,
e o abraço perdido pelos braços.

Baby, quero o meu blues pra você,
sem dor, sem (re)sentimento.
Batidas intempestivas no seu pensamento,
a declaração da sua beleza.

Baby, quero de você a minha Lilly Braum,
a última dose de whisky para tomarmos juntos.
A última dança do início da noite,
seus olhos para me fazer descompassar.
Só um romance para um beijo,
e deitarmos para ficarmos acordado.

Baby, apenas uns versos,
para te dar um blues.

2 comentários:

Anônimo disse...

um belo blues.
JURA

Pitango disse...

Um belo blues (2)