sexta-feira, 9 de maio de 2008

No passar dos meus vindouros anos, daqueles os quais poderei olhar pra trás e desterrar as artes e partes da minha memória, desdenharei coisas pequenas: amores e rirei dos desamores, não, os desamores serão apenas paixões passageiras; vou particularizar as coisas boas, as simples, aquelas as quais me deixaram emocionados e com a felicidade que provavelmente me arrebatou; vou guardar e sonhar com os beijos sinceros, os não sinceros também, pois com eles nos divertimos também; vou tecer sorrisos nos meus neurônios para torná-los mais alegres; lembrarei das gargalhadas dos amigos; da felicidade espontânea dos que me disseram, “te amo”; sim, vou costurar tudo isso na minha mão; coisas pequenas; coisas que me importam; vou lembrar das músicas que transportaram minha alma ao infinito, as que me fizeram sambar, pular, cantar com a garganta à solta, chorar, dar risada; vou bordando isso, como se borda um tecido, mas farei deste pano o meu coração; lembrarei de todos, mas só dos bons, momentos, não me importam os tristes momentos. É, no passar dos meus anos que virão começarei a guardar essas coisas pequenas, assim lá na frente poderei olhar o passado e olhar para a minha mão, nela estará todas essas coisinhas, simples, mas que me fizeram entender o que significa a palavra sentimento.

9 comentários:

P. disse...

Eu gosto dessa imagem, de alguém que tece. Eu bem que poderia me chamar Amaranta, mas nunca terei cacife para isto.

Que belo texto. Que bom que vc valoriza as tuas sensações em cada momento (apesar que eu já sabia disso).
Beijo sempre.

camila disse...

"Isto sim é vida, é amor, é poesia..."

Parabéns, belo texto!

Beijo :D Mila

Anônimo disse...

Nossa, Rapahael!!!! que coisa mais linda!!!!

Fui lendo e me envolvendo em sua colcha de retalhos, e me lembrando do filme Colcha de retalhos, muito lindo, vc já assistiu?
Amei estas suas frases:
"vou tecer sorrisos nos meus neurônios para torná-los mais alegres;
"vou lembrar das músicas que transportaram minha alma ao infinito"

TUDO!!!!

beijo, Gisele

Estêvão Cruz disse...

Com recordações que vamos tecendo a vida, nosso caráter. É bom se lembrar de coisas boas, mas é com as ruins que crescemos.

Um bom texto, parabéns!

http://devaneiosdopoeta.blogspot.com

Flávia disse...

As recordações são uma ótima matéria prima para tecer vida, não? a gente pensa que passou... mas sempre leva aquilo no coração.

Lindo o texto!

Beijo!

CeiSa disse...

é... a melhor coisa de estar vivo e saber viver é se permitir sentir todas as sensações do mundo!

Beijos!

Si disse...

Uma colha de retalhos, de recordações, de coisas boas-pequenas ... para cobri-lo por toda uma vida.

Que lindo, Rapha!

Beijos.

Si disse...

Ops... colcha, coberta...

Pitango disse...

E é desses pequenos retalhos que fazemos uma colcha quentinha!

Abraço,

Pitango

http://lenfantdeboheme.blogspot.com/