terça-feira, 4 de setembro de 2007

Se eu pudesse pintar quase tudo o que se encontra no mundo, acho que a cor escolhida seria a azul. Não porque essa cor transmita uma certa calmaria, um certo ponto para pensamentos dispersos, mas simplesmente porque acho esta umas das cores mais intrigantes. Sempre que penso em cores lembro das cores dos filmes do Almodóvar, e por falar nelas sempre me vêm à mente o vermelho claro. Sim, essa é a mais intrigante. O vermelho causa um certo grau de inquietude, algo doloroso, algo que mexe com todos os sentimentos, deixa qualquer pessoa perplexa perante ele. É a cor que remete à paixão. Não sei se o mundo seria bonito com as cores azul e vermelha, mas o mundo seria Almodovariano com elas. O azul pode transgredir algumas coisas e levar ao amor. Não sei ao certo, já que é intrigante. A cor que mais gosto é o verde. Ainda não tive uma resposta do que causa esse gostar. É uma cor que deixa as coisas escuras, mas que dá vida a outras. Independentemente das displicências coloridas do mundo, ainda pintaria as coisas de azul. A calmaria do mar é uma prova disso. O azul que preenche o que está acima da nossa cabeça num dia ensolarado comprova. Não sei por que prefiro a noite ao dia. Qual a cor noturna? Será que pintando a noite de azul ela teria o mesmo mistério? Talvez ao olho da noite, a lua, destinaria a cor azul. Ou às estrelas? Teria que testar. A noite é inspiradora. É versada. E desses versos, quase sempre não insignificantes. Talvez um dia ainda pinte a noite de vermelho, e a lua e as estrelas de azul. Quem sabe o dia noturno, por muitas vezes, não seja solitário.

Ahh idéia constante de querer mudar o mundo.

2 comentários:

leo-desde1984 disse...

Lendo vc escrever das cores, lembrei de quanto as diferenças são importantes. Do que seria do amarelo se não existisse o azul..
To esperando o próximo já!
Abraços

eupatriciamesmo disse...

Essas diferenças e a noite... Ótimo texto!
Azul é a minha preferida cor.
Ah! Se mais coisas fossem azuis!

beijo muito grande, e azul!